Home / Destaque / Africanos visitam Santa Maria em busca de tecnologia para cultivo de arroz

Africanos visitam Santa Maria em busca de tecnologia para cultivo de arroz

Da esquerda para a direita: Abdelkhadir Altidjani Koboro (Secretário Geral do Ministério de Produção, Irrigação e Equipamentos Agrícolas do Chade), Odilo Pedro Marion (Diretor-presidente do Grupo Agrimec), Hammad Djamouss Abdelsalam (Diretor da Dívida Adjunta no Ministério das Finanças e Orçamento), Mahamat Souleyman (Diretor Geral da Agência Nacional de Apoio ao Desenvolvimento Rural), Rafael Mannarelli (Costa e Negócios), Seidou Ahmat Mahamat Seidou, Diego Sousa (Gerente comercial da Agrimec) e Thiago Tolfo (Intérprete).

Na terça feira, 20/2, uma comitiva com quatro membros do governo do Chade (África) chegou a Santa Maria com o objetivo de conhecer as tecnologias e os processos ligados ao cultivo de arroz irrigado. A viagem aconteceu em decorrência do Projeto Boumou, desenvolvido pelo Governo do Chade que tem, entre um dos objetivos, a aquisição de máquinas e equipamentos para viabilizar a produção de 13 mil hectares de arroz no município de Lai, na província de Tanjile.

A visita à Agrimec aconteceu a convite do Diretor-presidente do Grupo Agrimec, Sr. Odilo Pedro Marion, que semanas antes visitou o país africano para conhecer as iniciativas adotadas para começar o processo de cultivo de arroz nos próximos meses. O objetivo foi identificar as potencialidades, limitações e necessidades do projeto Boumou. Lá, o Sr. Odilo Pedro Marion também pode conversar com produtores da região, conhecer as máquinas com as quais já trabalharam e a qualidade do arroz produzido, além de ver as particularidades dos atuais campos de produção.

A Agrimec, de Santa Maria/RS, possui hoje a mais completa linha de implementos agrícolas para a lavoura arrozeira, sendo a maior fabricante de implementos desse segmento na América Latina, e consta no projeto dos africanos como uma das fabricantes que poderão comercializar máquinas e equipamentos para o país.

Na ocasião, os visitantes puderam ter o primeiro contato com a empresa conhecendo um pouco sobre os produtos fabricados e suas funcionalidades. Após, foram convidados a conhecer o setor de produção, onde viram de perto a fabricação dos produtos e tiraram as principais dúvidas a respeito dos mesmos.

 

Na quarta-feira, 21, os visitantes foram levados a cidade de São Borja, na fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina, que hoje uma das maiores regiões produtoras de arroz do país.

 

A primeira parada foi feita na CIAGRO, empresa referência da região que, além de prestadora de serviços de acompanhamento técnico, comercializa insumos, sementes e também faz secagem e armazenagem de grãos. O responsável técnico pela produção de sementes, Eng. Agrônomo Charles Dalmaso, foi quem apresentou e explicou as principais atividades realizadas na empresa, além de apresentar detalhes sobre os processos de controle de qualidade desenvolvidos pelos órgãos de certificação.

 

Na sequência, foram conduzidos até a propriedade do Sr. Nelson Londero, onde são cultivados mais de 1.700 hectares de arroz. Os principais processos e etapas de cultivo de arroz foram apresentados à comitiva, desde o início do processo de irrigação pelo rio Uruguai, distribuição de água na lavoura, colheita, secagem, estocagem e beneficiamento de arroz através da marca Albaruska.

 

Nas estruturas, puderam conhecer novamente todas as etapas do processo de produção do arroz, passando pela chegada do grão bruto na moega, que depois é conduzido para a parte de separação e filtragem, de onde são retirados a sujeira e o arroz de má qualidade.

Frente às dificuldades dos produtores envolvidos no projeto Boumou, existe uma grande necessidade de intervenção e um suporte inicial com as melhores práticas para que possam aumentar a produtividade dos cultivos, reduzindo os trabalhos manuais.

Consequentemente conseguirão aumentar suas receitas, sendo capazes de terem condições de comprarem os próprios insumos e fazerem outros investimentos agrícolas, tornando a agricultura na região sustentável e independente.

Neste cenário, a Agrimec pode vir a se tornar uma das parceiras do Chade no desenvolvimento da agricultura do país nos próximos anos. As próximas tratativas e resultados das negociações devem acontecer nas próximas semanas.

Check Also

Agricultura conectada é aposta da John Deere para a Expointer 2018

Companhia destaca soluções que integram pessoas, máquinas, tecnologia e inteligência no campo   De acordo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *