Home / Destaque / Roberto Lopes, CEO Goldoni – Keestrack: “Foram as sinergias que trouxeram a Keestrack para este mercado”  

Roberto Lopes, CEO Goldoni – Keestrack: “Foram as sinergias que trouxeram a Keestrack para este mercado”  

 

 

Dinamismo marcado, tecnologias de última geração, máxima confiabilidade. A Keestrack, nova proprietária da Goldoni, tem a firme intenção de transferir suas características distintas para a empresa Migliarina di Carpi. Assim, a fisionomia do novo Goldoni Keestrack, pronta para entrar no mercado, está se aproximando.

No dia 13 de abril, ocorreu o lançamento da primeira linha de produção que estava parada há quase dois anos. Mas as inovações esperadas na marca revitalizada da Carpi, agora perto do marco dos cem anos (o nascimento da empresa data de 1926) não param por aqui, e abrangem todas as áreas de atuação, começando pela rede de distribuição, que já está em formação para desempenhar um papel de liderança na recuperação de negócios.

Roberto Lopes Jr, o novo CEO da Goldoni Keestrack, nos dá os detalhes dessa retomada, além de antecipações e revelações inéditas, na entrevista realizada em conjunto por três publicações do setor agroindustrial: Revista Agrotécnica (Espanha), Macchine Trattori (Itália) e Mecagri (Itália).

 

O vice-presidente de Operações do Keestrack Group, Peter Hoogendoorn, nas declarações emitidas imediatamente após a aquisição da Goldoni, destacou a existência de uma grande sinergia entre os setores e atividades da empresa Migliarina di Carpi e Keestrack. Você poderia ilustrar esse aspecto com mais detalhes e como planeja melhorá-lo?

Gostaria de enfatizar que a existência de sinergias sempre foi um critério norteador muito importante para a Keestrack identificar as empresas para as quais direcionar seu interesse para o propósito de futura aquisição. No caso da Goldoni, as sinergias tornaram-se imediatamente aparentes em várias frentes, começando pela cadeia de suprimentos, já que o fornecimento compartilhado de motores, transmissões, componentes hidráulicos, elétricos, etc., nos garante economias econômicas de escala. Soma-se a isso a possibilidade de aproveitar as altas habilidades do departamento técnico da Keestrack para o design de novos produtos Goldoni. E, finalmente, o maior potencial da rede de distribuição, já que Goldoni se concentra na área do Mediterrâneo, enquanto os clientes da Keestrack residem principalmente em países nórdicos. Também temos distribuidores nos EUA, Brasil, Ásia e África e, como muitos deles já vendem máquinas agrícolas, as condições são dadas para completar o portfólio de produtos com nossas marcas.

 

No entanto, o fato é que o grupo tem sido até agora estranho ao mundo da mecanização agrícola. Além das sinergias, que estratégia levou Keestrack a se interessar por esse setor específico?

É verdade que o novo dono da Goldoni não tem uma experiência agrícola a nível da empresa, mas a agricultura é um segundo negócio para a família Hoogendoorn. Não é por acaso que possui algumas fazendas no norte da Holanda.

Reitero, foram as sinergias que trouxeram Keestrack para este mercado. Não queremos nos comparar com gigantes do calibre de John Deere e CNH, mas apenas ressaltamos que hoje, como eles, temos a linha ‘amarela’, para o mercado de movimentação fundiária, e a linha agrícola: uma diversificação das filiais da empresa, de muitas maneiras prospectivas, pois sabemos que tanto o mercado agrícola quanto o mercado da construção civil são caracterizados por uma forte sazonalidade.

 

As escolhas de Goldoni até agora, do ponto de vista tecnológico, deixaram um pouco de fora da evolução da agricultura 4.0 e, consequentemente, da possibilidade de acesso a facilidades de crédito tributário para suas máquinas, o que é crucial para apoiar as vendas. Você planeja continuar se movendo na direção seguida até o momento ou você antecipa uma mudança de direção?

Respondo a esta pergunta com uma prévia absoluta. A Goldoni Keestrack já possui um trator 4.0 desenvolvido internamente, do qual esperamos uma grande contribuição para aumentar as vendas e elevar a tecnologia oferecida aos clientes. Além disso, este é um objetivo quase obrigatório quando você considera o dinamismo acentuado que sempre distinguiu Keestrack, juntamente com o fato de que nosso departamento de Pesquisa e Desenvolvimento, ou seja, o “cérebro pensante” da Keestrack em todo o mundo em tecnologia hidráulica, elétrica e eletrônica, está localizado na Itália, em Ponzano Veneto.

 

Poderia nos dar mais informações sobre esse novo trator? Será uma das clássicas máquinas Goldoni, ou seja, especializada para vinhedos e pomares, ou terá um uso diferente e características técnicas, já que os futuros projetos Goldoni Keestrack também se referem a uma nova série de campo aberto?

Posso antecipar que, como Goldoni Keestrack, já desenvolvemos um plano estratégico para os próximos sete ou oito anos. Nos dois primeiros anos pretendemos focar nas linhas Goldoni, na retomada da empresa, entendidas não apenas como produção e adaptação à legislação comunitária no que diz respeito aos motores, por exemplo, mas também como uma cadeia de distribuição, que nos últimos dois anos foi muito negligenciada. Com isso em mente, já temos diferentes atividades promocionais, especialmente focadas em peças de reposição e pós-venda, para recuperar a confiança do nosso cliente final.

Uma vez que este primeiro passo esteja completo, temos um plano de médio prazo, de dois a cinco anos, que tem como principal objetivo elevar o nível do produto Goldoni, fazendo uso do know-how e da inovação que fazem parte do DNA da Keestrack. Os tratores Goldoni têm a reputação de serem máquinas básicas de alta confiabilidade e essa exigência é boa, mas não queremos parar por aí e também não pretendemos vincular nosso nome a um produto que tem preço como elemento característico. Não faz parte do nosso plano estratégico. Nossa intenção é estabelecer-nos com um produto ‘Made in Italy’, voltado para suas especificações técnicas para um segmento de médio-alto mercado, e aqui quero dizer não só os motores de emissão da Indústria 4.0 e Estágio V, mas também, apenas para dar alguns exemplos, a transmissão Powershift ou o eixo dianteiro suspenso…

Tudo isso está em nossos planos futuros, mas é claro que não podemos ter tudo imediatamente e devemos avançar passo a passo.

Continuando esta questão, por que você não considerou incluir os modelos de campo aberto da Arbos no contrato de compra da Goldoni, o que poderia ter elevado seu nível de competitividade na garantia do acesso a outros segmentos de mercado?

Na verdade, essa era nossa intenção inicial. Nossa primeira oferta, que data de dezembro passado, também incluiu a parte de Propriedade Intelectual da Arbos. No entanto, a Arbos não reinseriu o acordo, por isso reformulamos nossa oferta e, portanto, toda a produção de campo aberto da Arbos ficou de fora da aquisição. Isso não significa que Goldoni Keestrack não pode ter um trator de mais de 100-130 cavalos de potência no futuro. O fato é, no entanto, que o ponto de partida não pode ser um P5000, uma vez que não nos pertence, embora não possa ser descartado a priori que no futuro podemos iniciar uma associação com esse objetivo. É uma eventualidade a considerar, como tantos outros que, no entanto, não são uma prioridade no momento.

Que estratégias você planeja implementar na Itália e no exterior, para devolver uma identidade completa à marca Goldoni entre um público que nos últimos anos tem sido um pouco desorientado pela mudança de animado, de laranja para verde-branco, e por repetidas tentativas de linha cheia?

Primeiro decidimos continuar a marca Goldoni, porque com uma história quase centenária por trás dela teria sido absurdo desistir dela. Em seguida, vamos atribuir um papel de condução nas estratégias de marketing ao apelo do “made in Italy”, tendo a ver com uma marca intimamente ligada à Itália e, mais geralmente, ao Mediterrâneo. E finalmente vamos reintroduzir a cor laranja-vermelha original para restaurar o elo com a tradição.

A recuperação da marca também significou a recuperação da rede de distribuição e para isso decidimos apostar na confiança, ‘colocando a cara’, algo que é prerrogativa dos negócios familiares.

Nesse sentido, como você planeja gerenciar e desenvolver a rede de distribuição da Goldoni, especialmente no que diz respeito ao suporte pós-venda? Funcionará em sinergia com distribuidores keestrack ou será autônomo? Em caso de sinergia, ambas as redes seguirão tanto os lados comercial quanto o de saúde ou as competências serão diferenciadas?

Em primeiro lugar, gostaria de fazer um esclarecimento porque não há uma regra geral e mesmo neste caso, como mencionei no início, devemos saber explorar as possíveis sinergias, devemos olhar para os dois lados. Em outras palavras, a Keestrack não pretende fazer uso de sua própria rede de priori para distribuir produtos Goldoni internacionalmente, assim como não pode ser excluído que um distribuidor Goldoni pode distribuir produtos Keestrack se possui as habilidades e conhecimentos necessários e se o mercado se presta a esse fim.

Por sua natureza, Keestrack nunca está satisfeito, mas sempre vai em busca do melhor e o melhor é decidido em campo, como no futebol, no entanto, a partir de um fato: que Keestrack tem uma propensão internacional que Goldoni nunca conheceu; desde antes de Arbos, mas também com Arbos, ele fez 90% de suas vendas na Itália e no mercado mediterrâneo.

Falando sobre produto novamente, Arbos tinha pensado em termos de linha completa, mesmo no setor especializado desenvolvendo uma série de equipamentos para vinhedos e pomares. Está pensando em retomar esse projeto?

Certamente, em um horizonte de tempo médio-longo, teremos que pensar em expandir o portfólio de produtos e poderemos fazê-lo através de uma empresa ou com outra aquisição de uma empresa, por exemplo. Mas, como eu disse antes, agora não faria sentido dar um passo tão amplo. Pretendemos manter os pés no chão, focados no momento na recuperação da marca Goldoni, na entrada na gama de tratores de frutas de nível tecnológico avançado ‘Made in Italy’, e na presença dentro da nossa oferta de uma família de tratores de campo aberto para cobrir esse importante mercado também.

Por fim, a antiga propriedade também contava com funcionários em outros países além da Itália. Você não pensou em contratar este modelo diretamente, fazendo uso de sua experiência de alguma forma?

A Keestrack não fez compras fora do perímetro italiano e, consequentemente, a situação das filiais na França e na Espanha. No entanto, isso não significa que não podemos pensar em usar sua equipe chamando-os para trabalhar para Goldoni Keestrack. Estamos certamente determinados a estar presentes no mercado francês e espanhol, mas podemos fazê-lo tanto com ex-funcionários da Arbos Goldoni, como com outros que têm um bom conhecimento do mercado agrícola local.

 

QUEM É KEESTRACK

 

Keestrack foi fundada em 1996 pelo holandês Kees Hoogendoorn e sua esposa Annet Schoenmaker que, tendo se voltado sem sucesso para alguns fabricantes do setor para a produção de uma máquina específica, uma tela móvel de alimentação direta, decidiu fabricá-la diretamente. Anteriormente, ambos haviam desenvolvido uma atividade comercial no setor de equipamentos de construção.

A empresa, que ainda pertence 100% à família Hoogendoorn, está agora sediada em Munsterbilze, Bélgica. Além da fábrica da República Tcheca, a produção se concentra em outros locais como China, Chuzhou, Índia, Nova Deli e Itália, Ponzano Veneto, Província de Treviso (esta é a fábrica para a fabricação de fábricas de spa OM compradas em 2010).

O volume de negócios total é de cerca de 150 milhões de euros, com 850 funcionários, sem contar a contribuição de Goldoni, e 50% é feito na Europa e os 50% restantes na China e na América.

Na Itália, no ano passado, atingiu um volume de negócios de 35 milhões de euros com um produto destinado a 90% para exportação, e as estimativas para o ano corrente são de quase 42 milhões de euros.

Check Also

Case IH lança portal e central de monitoramento para aumentar a disponibilidade das máquinas

Portal AFS Connect é uma plataforma para monitoramento de frota, gestão agronômica e gerenciamentos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.