Home / Noticias / Líder no mercado de infraestrutura flexível para cobertura e armazenagem, Tópico tem novo CEO

Líder no mercado de infraestrutura flexível para cobertura e armazenagem, Tópico tem novo CEO

Arthur Lavieri atua desde 1991 em empresas ligadas aos ramos de infraestrutura e serviços no Brasil, Estados Unidos e Alemanha e recentemente comandou a Solaris Equipamentos e Serviços, que também compõe o grupo Southern Cross, controlador da Tópico

Líder no mercado e responsável por 65% do market share do setor de infraestrutura flexível para cobertura e armazenagem, a Tópico tem um novo CEO. Arthur Lavieri, engenheiro eletricista pós-graduado em administração industrial pela USP, com MBA pela Fundação Dom Cabral e post-MBA pela Kellogg Business School passou a compor o board de executivos da empresa à partir de junho. Ele atua desde 1991 em empresas ligadas aos ramos de infraestrutura e serviços no Brasil, Estados Unidos e Alemanha e foi diretor da SIEMENS TUSA e CEO das empresas PPC Santana, Suzlon Energia Eólica. Recentemente, comandou a Solaris Equipamentos e Serviços, que também compõe o grupo Southern Cross, controlador da Tópico.

As expectativas e projeções de Lavieri para esta nova fase da empresa são positivas: “Com base em tradição e qualidade, a empresa conquistou a liderança absoluta do mercado na última década. Cada vez mais clientes necessitam de parceiros como a Tópico, capazes de prover diferentes soluções relacionadas a infraestrutura flexível, tais como galpões, coberturas, armazéns temporários etc, com agilidade e engenharia confiável. Acredito que continuaremos a trilhar esse caminho com muita atenção à retomada da economia Brasileira”.

A Tópico possui no Brasil mais de 2,5 milhões de metros quadrados instalados de estruturas modulares metálicas cobertas por membrana (lona) antichamas com durabilidade de até sete anos.

Experiência internacional

Arthur Lavieri atuou em empresas dos Estados Unidos e Alemanha e acredita que o foco no planejamento é uma lição que as empresas destes países oferecem às organizações brasileiras. “Investem tempo e recursos em processos de planejamento muito bem definidos, discutindo e acertando detalhes de projetos com todas as partes interessadas com muito tempo de antecedência. Isso implica em projetos mais inteligentes e com custos mais bem controlados, sem a necessidade de `apagar incêndios´ a todo momento. Como consequência, a previsibilidade é maior e isso aumenta o conforto de investidores”, salienta.

Com uma carreira acadêmica consolidada, Lavieri ressalta que o Brasil ainda tem muito a evoluir nas relações entre o setor produtivo e as universidades. Para ele, é extremamente difícil e burocrático fomentar a participação de instituições públicas em projetos com capital privado. E aponta: “Burocracia e excesso de regulações bloqueiam os processos. Atualmente muitas universidades têm, no entanto, investido em centros de fomento a startups e buscado atrair a iniciativa privada para melhor focar os esforços dos projetos. Há diferentes graus de maturidade neste processo, mas pode ser um caminho pragmático”.

O futuro do país

Para o novo CEO da Tópico, as perspectivas criadas com os resultados das eleições presidenciais permanecem positivas, mas sua intensidade diminuiu com o ritmo que as reformas têm enfrentado no Congresso. “Com isso, vários projetos já foram postergados para o final do ano e mesmo 2020. É absolutamente fundamental destravar a agenda de reformas que aumente a confiança de investidores nesse momento”, opina.

A adoção por parte do governo de uma agenda mais liberal é um sinal positivo, desde que isso signifique uma oxigenação do ambiente de negócios no país. “Como é sabido, economias que permitem que empreendedores possam desenvolver suas atividades com os controles mínimos e inteligentes necessários são economias mais sadias e que empregam mais. O Brasil precisa muito de simplicidade de processos, menos entraves burocráticos e uma estrutura de impostos e regulações menos primitiva”, conclui.

Sobre a Tópico

Fundada há 40 anos, a Tópico é a empresa líder no mercado nacional no segmento de infraestruturas flexíveis. Com mais de 2,5 milhões de m² instalados, a empresa – que aluga e vende galpões modulares – contabiliza mais de 800 empresas em carteira, sendo a maioria indústrias dos mais diversos setores, agronegócio, empresas de logística, infraestrutura e indústrias em geral.

Com fábrica própria e centro de distribuição localizados em Embu das Artes, São Paulo, a empresa também possui seis filiais espalhadas pelo País: em São Paulo (capital), Itaguaí (RJ), Contagem (MG), Joinville (SC), Simões Filho (BA) e Parauapebas (PA). Em 2014 a empresa, que era familiar, fundiu-se e após deu início a entrada no Private Equity Fund, Southern Cross Group (fundo latino americano presente em seis países), e iniciou um processo de modernização e expansão.

Check Also

Anfavea revisa projeções para 2019

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou suas novas projeções para o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.