Home / Destaque / John Deere em todas as etapas produtivas

John Deere em todas as etapas produtivas

A companhia destacou na 23ª Agrishow o conjunto de soluções inteligentes e adequadas para melhorar o desempenho do produtor no campo

A empresa mostrou como estas soluções juntas podem oferecer ganhos, aumentar a rentabilidade, coletar dados e informações em tempo real e proporcionar um melhor gerenciamento de sua frota em todas as fases do ciclo produtivo. No evento foram expostos equipamentos, tecnologia e serviços que atendem desde o planejamento, preparo de solo, plantio, tratos culturais, colheita, além de softwares e serviços de otimização, que permitem ao produtor mais tranquilidade e segurança durante as diferentes operações.

“A agricultura brasileira é fundamental tanto para a economia nacional quanto para prover alimento às mesas de todo o mundo. Por isso, o investimento em tecnologia e inovação são chaves para a John Deere. Temos orgulho em sermos parceiros dos produtores nessa missão de produzir sempre mais, melhor e de forma sustentável”, afirma Paulo Herrmann, presidente da John Deere Brasil e vice-presidente de Vendas e Marketing para a América Latina.

O estande, um dos maiores da feira, com aproximadamente um hectare de extensão, mostrou mais de 50 equipamentos destinados à Agricultura, Pecuária, Construção e ao setor Florestal, além de Serviços Pós-Venda e Financeiros. Sua Rede de Concessionários e Distribuidores esteve presente durante a evento para atender aos clientes de todo o Brasil, oferecendo condições especiais de vendas, e também oportunidades de aquisição via Consórcio Nacional John Deere, inclusive para equipamentos da linha amarela.

“O que o agricultor precisa é gerenciar seus custos de produção e, com isso, aumentar a lucratividade. A adoção e uso otimizado da tecnologia é o único caminho para que isso aconteça. O produtor brasileiro é ávido por inovação e sabe que somente assim tem condições de competir internacionalmente”, ressaltou Rodrigo Bonato, diretor de Vendas da John Deere Brasil.

Para cada etapa do ciclo produtivo, a John Deere apresenta um conjunto de soluções. Para o plantio de grãos, o destaque é a plantadeira 1107 a vácuo, com melhor precisão na distribuição das sementes; para os tratos culturais, a grande novidade é o pulverizador 4630, com uma barra maior; no segmento canavieiro, as colhedoras CH570 e CH670 e a enfardadora prismática L340, que atua no recolhimento de palhiço para geração de biomassa. Os tratores da linha 5E com piloto automático de fábrica, equipamentos versáteis e econômicos que atendem agricultores e pecuaristas, também estão em evidência. Além disso, os visitantes puderam conhecer a forrageira modelo 8300 e os implementos da linha GreenSystem, dentre outras novidades.

Outro ponto de destaque foram as Estações de PósVenda, que levaram aos visitantes os conhecimentos sobre as características e benefícios dos produtos originais John Deere. Além de apresentar o portfólio, os especialistas mostraram a solução mais adequada para a necessidade do cliente. As minipalestras aconteceram durante todo o evento.

A John Deere contou ainda com um espaço reservado à exibição das máquinas da divisão de Construção, com as pás-carregadeiras 524K e 624K, a motoniveladora 670G, as escavadeiras 160G e 210G, a retroescavadeira 310K 4×4 cabinada e o trator de esteira 750J. Ja a área Florestal esteve presente com o Harvester 1270E.

Novidades para o setor sucroenergético

O setor sucroenergético passa por um importante momento na economia do País. De acordo com dados divulgados pela consultoria FG Agro, pela primeira vez em mais de uma década, açúcar e etanol estarão, ao mesmo tempo, em um ciclo de alta de preços no Brasil.

A John Deere, atenta a este cenário, levou à feira dois recentes lançamentos de colhedoras de cana: CH570 e CH670. Estas máquinas passaram por testes de produtividade no campo com o Núcleo de Ensaio de Máquinas e Pneus Agroflorestais da Unesp (Nempa), que mostrou uma redução de 13% no consumo de combustível da CH570, em comparação ao modelo anterior 3520, ambas nas mesmas condições.

As colhedoras contam com o exclusivo sistema Econoflow, responsável por trazer melhorias nos mecanismos de alimentação, limpeza e hidráulico a fim de garantir uma operação 8% mais eficiente, o que aumenta a capacidade de colheita e reduz o consumo de combustível.

No último ano, durante a COP21, o Brasil se comprometeu a reduzir em até 43% as emissões dos Gases Geradores de Efeito Estufa (GEE) até 2030. Uma meta ousada, que deverá vislumbrar outros meios para produção de energia elétrica, como a partir da geração de biomassa. O potencial do setor sucroenergético para ampliar sua capacidade de fornecimento de energia ainda é enorme e a solução apresentada pela empresa é a enfardadora prismática L340, equipamento que produz fardos de biomassa com alto rendimento operacional.

Já o pulverizador 4630, que também conta com uma versão canavieira, agora possui barra de aplicação maior, de 27 metros, que contém sete seções, possibilitando maior efetividade nas aplicações e redução no custo com defensivos.

Também para esse setor estão os tratores de alta potência da John Deere. As séries 7J e 8R, amplamente utilizadas nos canaviais, em trabalhos de transbordo e atividades que necessitam de alto desempenho dos equipamentos em condições mais exigentes. São máquinas que apresentam uma solução confiável para evitar o pisoteio de soqueiras e preparo de solo e plantio.

Equipamentos inteligentes para Pecuária e Preparo de Solo

A John Deere levou uma grande novidade na Série 5E de tratores utilitários: agora eles vêm equipados com piloto automático de fábrica. O recurso gera redução de até 90% em sobreposições, mais facilidade nas manobras, eficiência e comodidade na operação.

Os tratores utilitários presentes na feira foram os cabinados (5078E, 5085E e 5090E) e os modelos 5055E, 5065E e 5075E, com o diferencial de serem os mais econômicos da categoria e proporcionarem manutenção de rotina simples. O fruteiro 5075EF, especial para culturas como a maçã e citros também marcou presença.
Para o segmento de pecuária, a John Deere destacou a forrageira 8300, uma das integrantes da moderna Série 8000. Além do novo design externo, a máquina apresenta uma forma de transferência de força que exige menos potência do motor para o deslocamento, deixando-o livre para colher e picar a forragem com alta qualidade. O menor peso da máquina com a disponibilidade de pneus maiores diminui o risco de compactação do solo. Toda a linha de processamento da forragem também sofreu alterações com o objetivo de permitir maior fluxo e garantir a qualidade do material colhido.

Em implementos, a empresa exibiu as grades niveladoras GreenSystem com espaçamento de 195mm para preparação de solo. A estrutura reforçada com quadro tubular de aço e os chassis de tubos soldados com regulagem de espaçamento e lubrificação em banho de óleo permanente eliminam a soqueira, os torrões, e os aglomerados de argila, podendo até anular a necessidade de uma passagem posterior, o que reduz o custo do preparo de solo.

Grãos e plantio

A Série S de colheitadeiras John Deere também foi para a Agrishow com o já conhecido e revolucionário sistema de peneiras DF3, que permite uma operação com qualidade, mesmo em terrenos inclinados. Um sistema simples, de baixo custo de manutenção e sem a necessidade de ajustes ou configurações complexas, reduzindo o tempo com paradas para calibrações.

O grande diferencial é a redução na perda de grãos, chegando até 70% sobre as peneiras autonivelantes existentes, com excelente qualidade, limpando-os melhor e separando-os dos resíduos sem danificá-los. Isto representa uma economia significativa: em uma propriedade de 300 hectares, por exemplo, é possível alcançar até 4 toneladas a menos de perda, o que gera um ganho adicional de R$ 3 mil reais por safra.

Para conferir como esse recurso colabora no dia a dia dos produtores, a John Deere exibiu em seu estande sessões de cinema 4D 180º “A Hora da Colheita”, que proporciona ao público a sensação da trajetória do grão desde a colheita até a carreta graneleira.

Dentre os destaques também esteve a plantadeira 1107, agora com o sistema VacuMeter. O dosador a vácuo apresenta melhorias que mantém a qualidade das sementes, distribuindo-as uniformemente, evitando sementes duplas e/ou falhas, o que oferece um ambiente favorável para as plantas se desenvolverem. Ainda no segmento de plantadeiras, o modelo DB40 proporciona excelente qualidade de plantio, máxima produtividade operacional e linhas pantográficas que copiam melhor o terreno. Também possui sistema de taxa variável, permitindo o controle automático de dosagem das sementes, e o sistema RowCommand, que desliga automaticamente as seções da plantadeira e garante a maximização dos recursos de plantio e uma economia que pode ultrapassar 7%, pois evita o desperdício de sementes. E para puxar as plantadeiras, a John Deere apresentou toda a sua linha de tratores das séries 5E a 8R.

Também esteve presente a Caixa de Semeadura de Grãos Finos GreenSystem, que tem a função de plantar sementes finas para gramíneas e leguminosas. A unidade é montada sobre o chassi das plantadeiras 1100 e 2100 e não demanda nenhuma alteração nos equipamentos. Ela serve também como cobertura e proteção do solo ou para alimentação animal, simultaneamente com milho ou soja, em áreas com sistematização ILP – Integração Lavoura-Pecuária já implementadas.

Parte da solução integrada para o plantio, a John Deere também apresentou a Lança Dual Flex para as plantadeiras Série 1100 de todos os tamanhos. Ela atende à demanda dos produtores que precisam garantir uma maior área plantada em menos tempo, com o menor custo de operação, além da facilidade de acoplar e desacoplar o implemento da plantadeira.

O futuro no campo

Uma outra grande novidade apresentada na Agrishow foi o JD Link, uma tecnologia para otimização do uso das máquinas John Deere, cujo objetivo é acompanhar e monitorar em tempo real os resultados obtidos no campo. Estes dados recebidos através do JD Link vão mostrar não só o que está acontecendo na lavoura, mas também informações que permitirão ao produtor avaliar seu equilíbrio operacional, indicação de planos de manutenção preventiva, economia de combustível, entre outros. Ainda em recursos de agricultura de precisão, a John Deere traz a antena StarFire 6000 e sinal SF3, que garantem a melhor precisão de sinal de satélites, com resistência ao sombreamento e aumento de disponibilidade.

A partir de janeiro de 2017, a John Deere adotará em suas máquinas motores tecnologicamente avançados, trazendo um novo patamar de conectividade e gerenciamento de desempenho, criando assim um novo conceito de máquinas inteligentes. Estes novos motores atenderão a regulamentação de controle de emissões MAR-I do Proconve sem requerer o uso de ARLA (líquido de tratamento pós-combustão).


Construção e Florestal

A John Deere também desenvolve soluções que atendem o mercado de Construção e Florestal. Da chamada Linha Amarela estiveram as pás-carregadeiras 524K e 624K e a retroescavadeira 310K 4×4 cabinada, amplamente usadas também no segmento agrícola devido à versatilidade de manuseio.

“Seja no universo agrícola ou no de construção, desenvolvemos tecnologias e produtos para eficiência produtiva dos clientes, isso tudo com uso facilitado e conforto. Para tanto, a empresa investe em média US$ 4 milhões ao dia em pesquisa e desenvolvimento”, ressalta Roberto Marques, Diretor de Vendas Construção e Florestal – Brasil.

A atuação de construção também no meio agrícola reforça a premissa de soluções integradas, pois as máquinas da linha amarela colaboram efetivamente na produção, favorecem o transporte de cargas dentro da área rural, realizam a construção e manutenção de estradas vicinais, além de controle de erosão e sistematização dos solos. Também serão exibidas no evento a motoniveladora 670G, as escavadeiras 160G e 210G e o trator de esteira 750J.

Além dos produtos, todos os distribuidores de equipamentos de construção estão preparados para oferecer aos produtores rurais soluções como o Plus Care e o SIMM, um pacote de serviços que assegura a gestão, o planejamento dos custos operacionais e programação das manutenções corretivas das máquinas.

John Deere WorkSight, com destaque para o JDLink,  oferece soluções integradas e tecnológicas que abrangem desde informações de como o equipamento está sendo utilizado até o consumo de combustível e códigos de falha, passando pela interação remota entre o distribuidor e a máquina, que ajuda a proporcionar maior tempo de máquina disponível aumentando a rentabilidade do negócio, além do suporte de uma equipe de pós-venda preparada para contribuir com alternativas inteligentes para o gerenciamento do negócio.

O setor Florestal esteve representado pelo modelo Harvester 1270E utilizado no sistema Cut-to-Length (corte no tamanho), onde a máquina processa cada árvore individualmente dentro do talhão, cortando, desgalhando, descascando e processando em toras com tamanhos pré-determinados.

Check Also

Mahindra em sintonia com a agricultura familiar

Com 5 anos de garantia, os tratores  8000 são econômicos, resistentes e podem ser financiados …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *